Rádio

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Cada um na sua onda

Poder expressar tudo o que quiser em qualquer ocasião de forma rápida e para o maior número de envolvidos é um ideal do ser humano. As relações sociais entre as pessoas permitem que elas comuniquem-se em diferentes níveis de acordo com seus anseios. Nas relações virtuais espera-se que este mesmo ideal possa ser alcançado mesmo quando se estiver limitado a ouvir e ser ouvido.
Transpor limitações é o que movimenta a tecnologia. Aplicações são criadas para estender o raio de alcance do homem e ajudá-lo a cumprir suas tarefas com mais eficiência e rapidez. Serviços hoje indispensáveis antes eram supridos por tecnologias eficazes ao que se pretendia, mas demandavam mais tempo. Mensagens trocadas pelas pessoas através de cartas comunicavam tanto quanto o e-mail ou por mensageiros instantâneos. A principal diferença está no tempo despendido para a elaboração do texto, envio e recebimento das respostas. E, por isto, o avanço de plataformas comunicaçionais mediadas por computadores proporcionou ao homem mais tempo para executar novas tarefas e mais rastros por redes como a Internet.
A evolução na comunicação pessoal proporcionada por serviços como e-mail, blog ou Messenger deixa nas pessoas a impressão de que estão mais acessíveis em suas comunidades e que podem ser mais colaborativas em temas de seus interesses. Ao mesmo tempo, a quantidade de logins de usuários, senhas e aplicativos para acesso a estes serviços reduzem seus índices de produtividade.
Por este motivo, as empresas desenvolvedoras de serviços para a web como o Google aumentam a oferta de plataformas compatíveis entre si através de “protocolos conversacionais” o que amplia seus negócios em muitos países. A participação do Google no mercado brasileiro de sistemas de busca atingiu 94,8% em janeiro de 2009. (HSM, 2009) Isto representa certa confiança do brasileiro na empresa e também a popularidade de seus serviços no país: mais da metade (51,09%) das pessoas cadastradas no Orkut se identificam como brasileiras.